• crislandibr

Fado e visita guiada na Casa de Amália Rodrigues em Lisboa

Fado às terças e sextas na Casa da Amália Rodrigues em Lisboa

Há tempos que eu queria escutar um bom fado!  Já tinha pensado em ir a uma Casa de Fado, mas sempre desistia por não ser o tipo de programa que as crianças gostam e são poucas as oportunidades que eu e meu marido temos de sair sem o nosso filho.

Da última vez que tivemos uma noite a dois, até tentamos ir a Tasca do Chico, mas era um sábado, já por volta das 20:30h e quando chegamos lá a fila na porta nos fez desistir.

Na última semana, uma outra oportunidade surgiu. Há algum tempo já vinha acompanhando a programação de fado do Jardim da Amália, na Casa Museu Amália Rodrigues, e estava à espera de uma brecha na rotina da semana para conferir.

As performances de fado ocorrem todas às terças e sextas-feiras às 18h e estava difícil conciliar com a minha agenda semanal. Mas aproveitei a presença da minha mãe aqui em casa para ficar com meu filhote e segui a sugestão das queridas Clarisse e Raquel da Lisbon by Clarisse, fiz a reserva para a visita guiada à Casa da Amália às 17h e em seguida o fado às 18h.

Como meu marido não pôde ir por conta do trabalho, convidei duas amigas que foram ótimas companhias!

A Fundação Amália Rodrigues funciona na casa onde a Amália, a grande diva portuguesa do fado, viveu por 40 anos. A Casa Museu funciona desde julho de 2001, cumprindo o desejo da própria Amália Rodrigues de abrir sua casa ao público após sua morte.

A visita guiada percorre os cômodos da casa onde Amália viveu e é uma espécie de viagem no tempo.  Ao longo da visita a cada divisão explorada, a nossa guia nos contava um pouco da vida da Amália Rodrigues naquela casa, seus hábitos, suas preferências, suas histórias.

Começamos pela sala onde Amália recebia jornalistas para entrevistas e promovia tertúlias entre amigos, tendo inclusive Vinícius de Moraes participado de um desses encontros na casa da Amália. Em seguida, passamos pela sala de jantar onde Amália oferecia jantares a seus amigos. Ao entrar na cozinha, parecia que havíamos sido transportados aos anos 50. Eletrodomésticos da época, peças de louça, utensílios e caixas de chá, objetos que sua cozinheira Eugenia utilizava no preparo das refeições da cantora, sempre na companhia de Chiquinho, o papagaio de estimação da Amália que até hoje vive na casa e que tivemos o prazer de conhecer. Infelizmente ele estava um pouco tímido no dia e não falou muito.

No piso superior, vimos o banheiro (casa de banho em Portugal), quarto de hóspedes, o quarto da Amália; observamos o closet e descobrimos que Amália era apaixonada por sapatos e acessórios! Em cada cantinho da casa tivemos a oportunidade de descobrir um pouco da mulher por trás da diva do fado, seu gosto pela leitura, sua paixão pela moda. Os acessórios pessoais, as fotos, os troféus e vestidos nos ajudavam a imaginar e personificar a Amália além da pessoa pública famosa e referência do Fado no mundo todo.

Tudo isso ficou registrado em nossa memória já que não é permitido tirar fotos no interior da casa.

Concluída a visita, alguns minutos antes das 18h, aguardamos o início do Fado na pequena sala decorada com fotos de Amália em muitos momentos de sua vida pública. Fotos com outros grandes artistas da música como Roberto Carlos e Plácido Domingo por exemplo, ou o grande escritor brasileiro Jorge Amado, dentre outros.

Enquanto saboreávamos um vinho do Porto, oferta da Lisbon by Clarisse, ouvimos o fado na voz da cantora Ana Sofia Varela, acompanhada pelo som envolvente da guitarra portuguesa de Paulo Parreira e da viola de fado de João Filipe. O ambiente é intimista, pouca luz e apenas 20 lugares para o público, o que nos permite estar bem perto dos músicos e perceber toda a emoção e sentimento passados pelo fado. No verão, o fado costuma acontecer no jardim da casa.

Embora o fado tenha uma certa dose de drama, com uma temática frequente de saudade, ciúmes, amores perdidos, o repertório escolhido oscilou entre músicas mais tristes com outras mais divertidas, como “Casa da Mariquinhas” e “Cheira bem, cheira a Lisboa”, o que tornou o momento muito agradável e leve!

Sem dúvida é um programa imperdível para quem estiver em Lisboa e quiser experimentar o fado de forma diferente, num ambiente tranquilo e mais reservado.

Mas atenção que o programa não é muito recomendado para crianças! Embora o espetáculo não seja muito longo, dura cerca de 1 hora, o fado não costuma ser o ritmo musical apreciado pelas crianças e pode ser difícil de mantê-las quietas e em silêncio num espaço pequeno por tanto tempo. E o silêncio do público faz parte do código de etiqueta a ser seguido para apreciar o fado.

Portanto, se estiver em família, organize-se da melhor forma para aproveitar esse programa.

Para informações de preços e reservas enviem email para jardimdaamalia@gmail.com e no momento do pagamento mencionem que receberam a indicação da Lisbon by Clarisse para terem direito a oferta de um copo de vinho do Porto ou um desconto no valor do bilhete.

Aproveitem que este ano se celebra o centenário de Amália Rodrigues e façam a sua reserva! Bom fado!!!!



View this post on Instagram

💟2020 continua com muito Fado e emoção na Casa de Amália @fundacaoamalia Todas as terças e sextas-feiras pelas 18h 🇵🇹 Cumpra-se o sonho… Cante-se o Fado #fado #amalia

A post shared by Jardim da Amália (@jardimdaamalia) on Jan 7, 2020 at 4:18am PST

Casa-Museu Amália Rodrigues –  Rua de São Bento, 193, 1250-219 Lisboa

Jardim da Amália – jardimdaamalia@gmail.com

Lisbon by Clarisse – especialista em passeios privados e roteiros personalizados em Lisboa e Portugal – Sigam @lisbonbyclarisse no instagram

#AmaliaRodrigues #CasaAmaliaRodrigues #Lisboa #FadoemLisboa #MuseuemLisboa

0 visualização